VOZERIA

desordem, tumulto, balbúrdia, alvoroço, bagunça, confusão, algazarra…Vozeria!

Sete Pecados e a Solidão

Posted by Tiago Di Tullio Freitas em 21/09/2012

Irado, abriu a porta do hotel e deparou-se com um vasto corredor. Não tinha mais nada para comer! Queria, desesperadamente, outro chocolate daquela máquina próxima ao elevador. Mas, ao ver a distância que teria de percorrer, abortou a ideia.

Ademais, estava escondido. Não queria dar sopa. Roubara o patrão para ter o luxo que sonhava. Desviara milhões e gastaria apenas com o próprio ego. Dividir? Nem pensar! Agora, rico, não precisava invejar os outros.

Quando deslocou de leve a maçaneta para voltar ao aposento, um susto. Tudo estava transformado! Era um campo aberto. A grama, marrom com a seca, apresentava pequenos pontos de queimadas. Fumaça que se concentrava em ir apenas ao alto. Não ventava. A única brisa presente vinha do bater de asas de dezenas de urubus que sobrevoavam o sítio.

A princípio, ninguém por perto. Estava só. Ao lado direito, um grande galpão que se assemelhava com a fachada do hotel onde se hospedara. Porém, abandonado. Portas de madeira caindo, animais peçonhentos perambulando e uma enormidade de cadeiras de plástico enfileiradas.

Deslocou-se para tentar ver. Porém, foi interrompido. Uma fila de homens maltrapilhos se formava para passar e adentrar o corredor de frente do galpão, em formato de rampa. Todos em silêncio sepulcral. Até que um parou.

Aproveitou a oportunidade para perguntar um “aonde estou?” quase sussurrado.

– Não está em lugar algum – respondeu a figura, sem ter qualquer tipo de reação. Explicou-lhe que ali, na verdade, era o limbo.

– Não pode ser! Estou vivo, bem de saúde e tenho tudo o que podia querer! – exclamou, assustado.

– Exatamente. Bem vindo ao limbo em vida: o nome dele é solidão.

Anúncios

Uma resposta to “Sete Pecados e a Solidão”

  1. Parabéns por escrever perfeitamente! Eu comecei a gostar de escrever quando morei na Inglaterra, porém minha inspiração não é a mesma aqui no Brasil! Consegui rascunhar dois volumes de um romance por lá. Aqui no Brasil fico travada. Por que será? Acho que os ares sombrios, chuvosos e frios da Inglaterra e as pessoas frias e distantes me levaram a ter inspiração (risos). Vou ter que passar uma temporada lá para voltar a escrever! Depois te conto sobre meus livros ainda não publicados….bjus e parabéns novamente. Raquel Baracat

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: